domingo, 20 de dezembro de 2009

Espaço positivo.. forma e espaço negativo...

Espaço positivo.. forma e espaço negativo.. Fundo: Estes dois espaços dependem um do outro para que a composição esteja conforme o que o artista pretende.
Na realidade existem pinturas ou desenhos que é difícil identificar estes espaços.. ou é mesmo impossível. É o exemplo das obras abstractas - geométricas em que a superfície é ocupada por elementos formais. (Padrões; manchas..) Figuras e texturas.

Desenhar!

Desenhar exige um trabalho constante de aprendizagem, requer ver e pensar - o desenho entendido como prática gráfica e plástica concretiza-se muito para além da mera representação, pois é um processo de construção do objecto. O desenho projecta a natureza singular do ser que habita na pessoa que desenha.
É um projecto de realização do próprio ser.

Uma forma de simplificar a arte



Formas simples e planas, linhas com tendência à verticalidade e à horizontalidade. Trabalho pintado com canetas fibral.

Ordem Jónica



A ordem jónica surge no Leste, na Grécia oriental e seria, por volta de 450 a.c., adoptada também por Atenas. Desenvolvendo-se paralelamente ao dórico apresenta no entanto, formas mais fluídas e uma leveza geral sendo mais utilizado em templos dedicados a divindades femininas. A coluna possui uma base larga, tem geralmente nove módulos de altura, o fuste é mais elegante e apresenta vinte e quatro caneluras. O capitel acentua a analogia vegetal da coluna pela criação de um elemento novo entre o coxim e o ábaco de carácter fitomórtico.

Something

Folha de uma àrvore desenhada à vista.

Uma maça desenhada à vista.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Peças.. desenhadas à vista



Trabalho desenhado à vista e pintado a grafite.

Perfume

Some of my work..

A ideia deste trabalho era dar a sensação de que vários frascos de perfume estavam a cair para dentro de uma caixa. Os perfumes foram desenhados à vista e a caixa feita em ponto de fuga. Trabalho realizado com grafite e lápis de cor.

Continuação do anterior


Este desenho é o mesmo que o anterior mas com uma técnica diferente, isto é, o desenho foi passado a partir de papel vegetal para outra folha já cortado em pequenas peças todo trabalho e pintado cm tinta da china tendo como objectivo trabalhar várias texturas.

Mais um trabalho desenhado à vista



A mascara, o aquário, a taça com frutos, a rena e o crânio do animal foram desenhados à vista desarmada, o fundo foi um desenho retirado de um pintor, também desenhado à vista mas com proporções mais amplas.

Peças de xadrez

Peças de xadrez inventadas, com a cadeira desenhada à vista e os tabuleiros de xadrez usando pontos de fuga e pintado a grafite e lápis de cor.

Borboleta

Algum do meu trabalho.. desenhado em aguarela na parede do meu quarto!

sábado, 12 de dezembro de 2009

I LIKE..


"Eu gosto do impossível, tenho medo do provável, dou risadas do ridículo e choro porque tenho vontade, mas nem sempre tenho motivo. Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele. Sou inconstante e talvez imprevisível. Não gosto de rotina. Eu amo de verdade aqueles a quem eu digo isso, e irrito-me de forma inexplicável quando não têm fé nas minhas palavras. Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo. São poucas as pessoas para quem eu me explico..."

Bob Marley

"I like the impossible, I fear the probable, I laugh of ridicule and cry because I feel, but do not always have reason. I have a confident smile that sometimes does not show much of the insecurity behind it. Maybe I'm fickle and unpredictable. I do not like routine. I really love those whom I say it, and irritated me inexplicably when they have faith in my words. not always put into practice what I believe right. There are few people whom I explain ... "

Bob Marley

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Auto Retrato

video

Auto-Retrato, edição em Premiere para a disciplina de Laboratório Audiovisual: Digital e Vídeo.. ESES - Escola Superior de Educação de Santarém; Curso Educação e Comunicação Multimédia. 1º Ano - 1º SEMESTRE.

sábado, 28 de novembro de 2009

Machinima - "História de Vida"



Primeiro vídeo que fiz em Machinima. Trabalho para a disciplina de Desenvolvimento e Avaliação de Projectos Tecnológicos, "gravado" no Second Life em Fraps e editado em Adobe Premiere.

sábado, 21 de novembro de 2009

Ler é bom! Ler sabe bem!

"Ler não é um acto mecânico, pelo contrário, deve ser um acto de prazer completamente desligado da ideia de obrigatoriedade. Não é fácil gostar de ler. Quem não adquiriu o hábito durante a infância dificilmente se encantará a cada vez que entrar numa livraria. No entanto, muitos já perceberam que ler é essencial para se conseguir algo nesta vida.

Se não gosta de ler, mas ao menos gostaria de gostar, aqui vão dicas que podem ajuda-lo a entusiasmar-se – ou pelo menos a suportar a relação entre você e os livros. Primeiramente é importante ter a consciência de que saber ler não significa saber compreender e este é um problema sério no nosso país. Pelo menos 38% das pessoas têm dificuldade em interpretar aquilo que lê. Isto é grave e deve ser combatido. Como? Com esforço próprio.

A compreensão depende muito da bagagem cultural do indivíduo e é por este motivo que a maioria dos livros indica a faixa etária ideal para lê-los. Se ainda é jovem, por volta dos 13 anos, procure livros que tenham a ver com você. Para gostar de ler é preciso ler aquilo que lhe dá prazer!

Para criar o hábito da leitura, reserve um tempo do seu dia para praticar. Para que isto dê certo é preciso ser rigoroso, nada de dizer “ah, eu leio amanhã”. Lendo todos os dias o acto passará a ser corriqueiro e com o tempo tornar-se-a um hábito inadiável. O acto de ler pode ser encarado como um ritual: procure um local tranquilo, confortável e bem iluminado. Separe algo para beber e fique confortável (debaixo de uma mantinha quente ou de ar condicionado bem potente). Se você passar a ler em condições impróprias, o acto de ler pode ser associado à ideia de desconforto e aí “tchau” hábito da leitura.

Na ânsia de atingir o objectivo pode acreditar que ler vários livros ao mesmo tempo pode ajudá-lo. É um engano. Um livro de cada vez é o indicado. Curta a história, entregue-se aos pensamentos e aproveite este momento (já ouviu dizer que ler é uma “viagem”?). Preocupe-se em manter um dicionário por perto, para poder consultar todas as palavras que não fazem sentido para ti. Fazendo isto, além de compreender o que está a ler, a expressão passará a fazer parte do seu vocabulário.

Escreve bem quem lê muito e escreve melhor quem lê e escreve muito. Assim como o desporto, a leitura e a escrita devem ser exercitados. Quanto antes começar, mais rápido atingirá o seu objectivo."

Por Marla Rodrigues